Nos vãos do Centro

Em 2006, o fotógrafo Antonio Brasiliano percorreu o Centro de São Paulo em busca de lugares onde o abandono firmou residência.  Casas, edifícios, terrenos e albergues que abrigam – ou já abrigaram – quem tem pouca ou quase nenhuma alternativa.  Gente esquecida e marginalizada no processo de urbanização do País, movido a uma precária modernização.  Espaços e pessoas que costumam manter-se despercebidos, exceto quando alguma reintegração de posse, manifestação, um choque com a polícia, um incêndio ou outro acidente chama, por alguns instantes, a volátil atenção da mídia e da opinião pública.  Palpitações momentâneas que atraem o olhar para o coração da metrópole, onde o não-lugar teima em existir.

Deixe uma resposta