Editorial – Ponte com o Oriente

Dados do Fundo Monetário Internacional indicam que a China teria assumido o topo do ranking das economias mundiais, ultrapassando os Estados Unidos, o que coloca ainda mais holofotes sobre esse gigante oriental.

Nesta edição, buscamos nos despir de todas as visões preconcebidas sobre a China para entender como esse país absolutamente ímpar tem lidado com o desafio de crescer, incluir e conservar. As proporções colossais elevam a complexidade dessa equação a uma alta potência, fazendo da China o maior laboratório de sustentabilidade do planeta.

O que for trilhado lá certamente terá influência internacional. Dona do maior déficit ecológico do mundo, a China ligou o sinal de alerta sobre os problemas ambientais, ciente de que já afetam o crescimento e podem criar instabilidades sociais que ameaçariam o regime político de partido único. A transição para uma economia de baixo carbono dá seus passos, o que pode gerar uma escala sem precedentes para produtos e serviços verdes.

Encoberta sob um manto de clichês, a China oferece oportunidades de negócios e de aprendizados que o brasileiro ainda não soube visualizar em sua totalidade. Fazer essa ponte entre Oriente e Ocidente é mais um exercício de respeito às culturas que só traz benefícios a todas as partes do mundo.

Boa leitura!

Deixe uma resposta