Impropriedades

Com quantos tijolos se faz um lar? Assim escancaradas,  as  casas em ruínas expõem um conteúdo que se foi. A pintura quase rupestre em uma arqueologia da cidade que se impõe por cima de outra, empilhando histórias. Vê-se a marca do que outrora era telhado na parede sem reboco. Os azulejos descolando, a pia arrancada, as fotografias que perdem seus rostos. Em vez de presença, vãos como os do tijolo baiano.

No Rio de Janeiro, João Paulo Racy foi além do registro de bonitas fotos dos eventos esportivos. Descobriu as transformações causadas por intervenções para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas que se aproximam. O que era lar e lugar deu passagem a não lugares, transpassados por metrô, BRT e VLT – siglas que as paredes não poderão mais inscrever.

1_abre

2_a

2_b

2_c

2_d

3_a

3_b

Deixe uma resposta