O rabo do boto

Não se engane! A fotografia do boto em cuja cauda se prendeu um punhado de lixo não é uma mera denúncia da situação deplorável em que se encontra a bela Baía de Guanabara às vésperas das Olimpíadas. Esta imagem é um verso da longa história de amor de um fotógrafo por sua cidade. Durante 20 anos, Custodio Coimbra, do jornal O Globo, vem retratando o cenário que em 2012 recebeu das Nações Unidas o título de Paisagem Cultural da Humanidade.  No fim de julho ele lançou pela FGV Editora o livro Guanabara, Espelho do Rio, com texto da jornalista (e companheira) Cristina Chacel, 240 páginas e 170 fotos. “Engana-se quem pensa que a conhece. A Guanabara é inesgotável. É obra pra uma vida inteira”, diz ela.