Inventando moda

Passarela, glamour, marcas famosas e roupas caríssimas. Um espaço, em geral, inacessível e elitizado, teve suas portas abertas à periferia quando modelos e estilistas de Paraisópolis, comunidade da Zona Sul paulistana, participaram da São Paulo Fashion Week 2017, no palco da TNT-Lab. A proeza de unir os dois polos deve-se a Alex Santos, idealizador do Periferia Inventando Moda (PIM), evento semestral iniciado em 2014.

“Tem gente criativa e bonita na periferia. Quando a galera se vê dentro da São Paulo Fashion Week, entende que pode fazer parte, o que é superimportante para a sua identidade e autoestima”, comenta Nilson Mariano, psicólogo, produtor-executivo do projeto.

Foi num curso de Corte e Costura em Paraisópolis que Alex descobriu sua verdadeira vocação, embora sonhasse em ser publicitário. A partir daí, ingressou em Design de Moda e passou a dar workshops de modelos na escola da comunidade. “A experiência fashion faz com que o indivíduo reflita sobre seu estilo pessoal, sua identidade e o modo com o qual se apresenta e se coloca no mundo”, explica.

Sua iniciativa se desdobrou em workshops de beleza, de fotografia, de DJ, e outros eventos como o Maloka Fashion, além de editoriais regulares de moda, uma agência de modelos e, até, uma aceleradora de marcas, que acompanha por um ano os criadores selecionados para cada PIM. “Existe o lado ruim no universo da moda, o do jogo de ego. Mas essa mesma sede de superação provoca um aprendizado constante, incentiva cada um a dar o melhor de si e a aprimorar o seu olhar para a sociedade”, conclui o empreendedor.

Deixe uma resposta