Ecologia em tempos de crise: como ser relevante?

Quando: 19 a 22 de agosto

Onde: Centro de Convenções da Unicamp

Qual o papel da Ecologia na solução de problemas ambientais e de conservação? Como as pesquisas ecológicas podem contribuir para dilemas de conservação e uso de recursos naturais? Para debater esses problemas, expor resultados de pesquisas e trocar experiências, a Unicamp sediará de 19 a 22 de agosto a 2a Reunião da Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação (Abeco), em conjunto com o 6o Simpósio de Ecologia Teórica (SET). O tema central do evento que comemora, também, quatro décadas do Curso de Pós-Graduação em Ecologia da Unicamp, pioneiro no País, é “Ecologia em tempos de crise: como ser relevante?”. A reunião é destinada a pesquisadores, docentes, pós-graduandos, analistas e técnicos de agências ambientais e de ONGs.

A abertura do evento, às 18hs de 19 de agosto, no Centro de Convenções da Universidade, contará com a participação do reitor da Unicamp,  Marcelo Knobel, do presidente da Abeco, Valério Pillar (UFRGS) e do presidente do Congresso, Thomas Lewinsohn, do Instituto de Biologia da Unicamp.

Programação

A programação terá seis conferências de pesquisadores internacionalmente destacados: J. Emmett Duffy, da Rede de Observatórios Marinhos; Smithsonian Institution (EUA), que abordará o tema “A biodiversidade é tão importante quanto o clima para o funcionamento dos ecossistemas”; Maria Carmen Lemos, da University of Michigan, “A produção do conhecimento científico aplicável no campo das ciências ambientais”; Robin Chazdon, da University of Connecticut, “Direcionadores da regeneração florestal: desde folhas até paisagens”; Susan Trumbore, diretora do Instituto Max Planck de Biogeoquímica (Alemanha), “Três décadas de pesquisa da relação floresta-interações atmosféricas na Amazônia: da Able a Atto”; Wolfgang Weisser, da Technical University of Munich (Alemanha), “Como pesquisas fundamentais sobre a relação entre o uso da terra e biodiversidade podem contribuir para a conservação” e Jean Paul Metzger  da USP, “Serviços ecossistêmicos em paisagens sustentáveis e multifuncionais”.

Eventos-satélite, com diferentes formatos, darão oportunidades adicionais aos participantes para trocar experiências, formar parcerias e se integrar em projetos e redes ambientais brasileiras e internacionais. Estes eventos incluem consulta à comunidade do Sumário para Tomadores de Decisão do 1º Diagnóstico Brasileiro sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (produzido pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos/BPBES).

Cientistas e jornalistas ambientais de diferentes mídias e ONGs também participarão do evento para debater maneiras de aumentar a efetividade e a qualidade da divulgação e circulação de informações sobre ciência ecológica. Em outra sessão, os pesquisadores da área ambiental recém-financiados pelo Instituto Serrapilheira apresentarão e discutirão pela primeira vez publicamente seus projetos.

A Rabeco-2018 é uma realização da Abeco em conjunto com o Programa de Pós-Graduação em Ecologia (IB/Unicamp) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientas (Nepam/Unicamp). Conta com o apoio de: Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Fapesp, Capes, CNPq, INCT/EECBio (Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade) e Instituto Serrapilheira.

Mais informações aqui.