Parceria pretende dar mais robustez e transparência à pegada ecológica dos países

A Global Footprint Network, rede internacional sem fins lucrativos que calcula a pegada ecológica, fez uma parceria com a Universidade York, em Toronto, no Canadá, para dar mais robustez, acurácia e transparência ao cálculo da pegada de contas nacionais, ou seja, a de países. Essa pegada mostra quanto cada nação demanda de recursos da natureza, vis-à-vis a capacidade de renovação de estoques naturais dos quais dependem. Para isso, a parceria deverá construir uma organização independente, formada por uma rede global acadêmica e dotada de um comitê consultivo científico. As últimas contas sobre a pegada mundial revelam que a humanidade excede a capacidade do planeta em mais de 70% do que a natureza é capaz de repor. Abaixo, informações divulgadas pela própria Global Footprint Network:

 

Voar cego é perigoso para os aviões. Também é perigoso para as economias, sejam empresas ou nações inteiras. Assim como pilotos precisam de mostradores confiáveis na cabine, os tomadores de decisões econômicas precisam de contas robustas e relevantes.

Contas financeiras não apenas ajudam a evitar a falência; elas também sinalizam aos gestores as manobras necessárias para conduzir a administração. Tendo esticado o uso de recursos além de seus limites, as economias também precisam de contas ambientais robustas se quiserem evitar a falência ecológica.

A nova iniciativa, desenvolvida pela Universidade York, do Canadá, e pela Global Footprint Network, está fornecendo exatamente isso, motivada pela visão de um mundo em que todos possam prosperar dentro dos limites planetários. Juntos, estamos construindo uma rede acadêmica em torno do principal banco de dados de contabilidade ecológica do mundo: a pegada das contas nacionais (National Footprint Accounts) O centro de pesquisa e dados da Universidade York sediará esse esforço e coordenará a rede acadêmica.

O objetivo é que as decisões públicas e privadas levem em conta as limitações de recursos do planeta. Por isso, nosso foco é convencer governos e empresas ao redor do mundo de que políticas econômicas e investimentos informados por recursos emergentes e realidades climáticas são mais propensos a ter sucesso. Fornecer as contas por meio de uma instituição independente, politicamente neutra e cientificamente confiável fará com que as informações sejam inegáveis e ajudará os tomadores de decisão em seus desafios.

A pegada ecológica baseia-se em uma história sólida. Desenvolvida por Mathis Wackernagel e William Rees no início dos anos 1990, continua a ser a única métrica que compara de forma abrangente a demanda sobre a natureza com a capacidade de renovação da natureza. Desde 2003, a Global Footprint Network mantém e publica essas contas, abarcando mais de 200 países, com o histórico de 1961 até hoje.

As últimas contas sobre a pegada revelam dizem que a humanidade excede a capacidade do planeta em mais de 70%. Esse tipo de cálculo foi bem-sucedido: é citado em quase todos os relatórios ou artigos sobre sustentabilidade. O termo “pegada” é agora sinônimo de impacto humano. Mais de 10 governos nacionais aplicaram a métrica e a campanha anual “Earth Overshoot Day” (Dia de Sobrecarga da Terra) alcança mais de 1,5 bilhão de impressões anuais de mídia.

O que a iniciativa produzirá:

A pegada das contas nacionais, derivadas de fontes de dados sólidas e montadas com rigor acadêmico, para garantir que seja uma contabilidade robusta, objetiva, independente e influente.

  1. Uma colaboração internacional de pesquisadores que impulsionam as melhorias nas contas, aumentam sua influência e fortalecem sua reputação e aplicabilidade.
  2. Um consórcio de governos que contribuem e utilizam as contas e as adotam como uma ferramenta fundamental em suas próprias decisões.
  3. Um grupo de pesquisadores qualificados no assunto que podem aplicar suas habilidades e conhecimentos.

Para informações sobre como aderir a essa rede acadêmica, contate Amanda Stastook em amandast@yorku.ca