O Brasil representado

Crescente economia do Brasil não está de fora desse movimento de expansão 
da certificação B-Corp. Com 80,8 pontos obtidos no GIIRS, a Ouro Verde Amazônia, do Grupo Orsa, é a primeira brasileira a receber um certificado. O diretor da empresa, Luis Fernando Laranja da Fonseca, conheceu
 a certificação em Nova York no ano passado, quando participou de um evento do New Ventures – uma iniciativa de apoio a empreendedores ambientais do World Resources Institute (WRI).

A Ouro Verde produz e comercializa produtos feitos à base de castanha do Brasil. Como toda empresa, tem no lucro o seu combustível, mas sua preocupação com 
a conservação da floresta e a valorização
dos coletores de castanha tem igual peso 
na gestão. Laranja diz que a certificação B-Corp se diferencia de outros selos de responsabilidade corporativa porque 
procura empresas para as quais o benefício socioambiental é tão importante quanto o sucesso do negócio. “É diferente de dizer ‘eu tenho um negócio e me preocupo
 com impactos que gero’. Nossa empresa
 é fundada no princípio de que o nosso negócio vai ajudar a sociedade sem abrir mão do lucro”. Esse é o espírito das B-Corps. A iniciativa será apresentada durante a Conferência Ethos em junho.

Leia mais sobre o B-Lab.

Deixe uma resposta