Pesquisador do IPÊ lança livro sobre mestres da sustentabilidade

“Vivemos hoje um desafio sem precedentes: colocar em curso um modo de produção e consumo que respeite os limites planetários e contribua para reduzir a vergonhosa desigualdade da distribuição de riqueza na nossa sociedade. A solução para isso certamente não está em fazermos mais do que sempre fizemos, mas sim em destruirmos criativamente o modelo que nos trouxe até aqui, abrindo espaço para a emergência de um desenvolvimento efetivamente sustentável. Nesta direção apontam os Mestres cujas trajetórias Rafael Chiaravalloti descreve nesta obra, a qual nos faz uma grande contribuição ao inspirar e pavimentar o caminho para os milhões de aprendizes que seguem promovendo uma poderosa revolução silenciosa em prol da sustentabilidade.”

Paulo D. Branco – Vice Coordenador do Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas

O pesquisador do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) Rafael Morais Chiaravalloti lançou em junho o livro:  O Homem que salvou Nova York da falta de Água e outros 11 mestres da Sustentabilidade.  Formado como Mestre em Conservação e Sustentabilidade pela Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade (Escas), Doutorando pela University College London e finalista do prêmio Rolex Awards para jovens visionários de 2015,  o autor é um entusiasta não só de ações ligadas à sustentabilidade planetária, como pelas histórias de pessoas inspiradoras, que batalham para que projetos e ações práticas nesse campo aconteçam.

“Com certeza temos muitos problemas a serem resolvidos na atualidade. No entanto, também existem soluções. Busquei relatar aqui 12 histórias de pessoas que estão conseguindo tornar o mundo um lugar um pouco melhor”, afirma o autor.

O livro, publicado pela editora Matrix, fala não só dos já conhecidos resultados das ações de mestres como Chico Mendes, John Elkington e Marcio Ayres, mas como foi o “pulo do gato” ou o momento crucial das vidas dessas pessoas que fizeram com que eles olhassem para os desafios socioambientais de maneira diferenciada e se arriscassem em busca por soluções para eles, nos seus diferentes campos de atuação. Este é o caso da história do personagem que dá título ao livro: Albert Appleton, ou “o homem que salvou Nova York da falta d’água”.

“Talvez o mais importante da história de Albert não seja o modelo que ele resolveu o problema de Nova York cidade apenas replantando as áreas desmatadas, buscando um melhor manejo da terra e reduzindo o desperdício e sem construir nenhum obra. O mais importante a saber sobre essa história é que com ela entendemos que ‘a única forma de se chegar ao impossível é acreditar que ele é possível'”, afirma Rafael.

Além dos já citados, o livro aborda os legados para a sustentabilidade de Ray Anderson, Claudio e Suzana Padua, Roberto Waack, Harri Lorenzi, Patricia Pinho, Walfrido Tomas, Teresa Corsão e Ricardo Voltolini.

“É apenas um recorte de pessoas que me inspiram e que também inspiram o mundo a ser um lugar melhor. Assim como eles, existem muito mais personalidades fazendo e mostrando as diversas possibilidades de transformação das nossas sociedades em busca por melhoria de vida e que garantam a sustentabilidade no planeta. Dar voz a essas pessoas é sempre fundamental para que não esqueçamos do que eles já construíram e para que outros futuros líderes e mestres possam surgir futuramente”

Confira um resumo sobre cada uma das personalidades:

1.    Albert Appleton – O homem que salvou Nova York da falta de água

Se São Paulo está passando por uma severa crise hídrica, isso não é isolado no mundo. Diversas cidades também já sofreram com isso. No entanto, diferente daquilo que todos esperavam o secretário de Meio Ambiente de Nova York não construiu uma obra se quer. Ele resolveu junto com os fazendeiros buscar um melhor manejo das nascentes, replantar áreas desmatadas e com a população acabar com o desperdício. Ele mostrou que nem todos os problemas se resolvem com soluções de engenharia, principalmente, a crise hídrica.

2.    Chico Mendes – O herói das comunidades tradicionais

Preservar a natureza é uma ação antiga. Há mais de 3 mil anos as pessoas já criavam reservas para proteger remanescentes naturais de florestas na Índia e na China. No entanto, ninguém nunca tinha pensado que se poderia fazer isso utilizando as próprias pessoas como agentes de conservação. Até Chico Mendes chegar.

3.    John Elkington – o pai da sustentabilidade

Se sustentabilidade é uma palavra que está na moda, é simplesmente porque John Elkington resolveu mostrar que ela poderia ser muito mais completa que qualquer outra ideia que já tinha existido antes. Depois dela, muitas outras nasceram e o pai da sustentabilidade é considerado o grande guru que temos na área.

4.    Ray Anderson – um capitalista radical

Dizer hoje que uma empresa é totalmente sustentável pode parecer meio exagerado. No entanto, quando Anderson resolveu mudar completamente sua empresa milionária para um novo modelo de negócios radicalmente diferente. Ele realmente conseguiu.

5.    Claudio e Suzana Pádua – os heróis da biodiversidade

Tudo começou quando Claudio já casado e com filhos resolveu largar o emprego dos sonhos de muitos e se mudar para o meio de um Parque Estadual para salvar um pequeno macaco. Salvou e influenciou toda uma geração de novos conservacionistas.

6.    Márcio Ayres

Pensar fora da caixa é algo que Márcio sabia muito bem. Ele conseguiu unir diversos mundos em uma mesma ideia, ajudando a criar grandes áreas protegidas e corredores ecológicos na Amazônia que se fossem um pais estariam entre os 50 maiores do mundo.

7.    Roberto Waack – a madeireira sustentável

 Dizer que temos que salvar a Amazônia é uma tarefa fácil. O complicado é encontrar mecanismos que realmente consigam solucionar essa equação. E foi ai mesmo que Roberto Waack mostrou que era possível e começou a fazer uma pequena revolução nessa que é uma das mais importantes florestas do mundo.

8.    Harri Lorenzi, o best-seller da ciência

Fazer da ciência algo mais popular para as pessoas entenderem a importância da natureza já não é uma tarefa fácil. No entanto, fazer, ter sucesso e usar o dinheiro para montar um dos mais belos jardins botânicos que existem no país é uma tarefa apenas para Herri Lorenzi.

9.    Patrícia Pinho – resolvendo um conflito de 20 anos

 Cuidar de Áreas Protegidas já não é uma tarefa fácil. No entanto, fica ainda mais difícil quando há 20 anos existe um intenso conflito na região. Mas Patrícia conseguiu e com isso mostrou o caminho para diversos outros gestores.

10. Walfrido Tomas  – usando a ciência como uma arma para proteção da natureza

 Quando resolveu fechar a sua clínica veterinária e foi em busca do seu sonho de trabalhar com conservação no Pantanal, Walfrido jamais imaginava que ajudaria a resolver uma das guerras mais violentas que tivemos no nosso País nos últimos anos contra a caça de jacaré no Pantanal.

11. Tereza Corsão

O desperdício de comida é um grande contrassenso quando comparamos com o número de pessoas que passam fome. Mas se não fosse por pessoas como Tereza Corção estaríamos muito pior, pois ela tem unidos chefs ao redor do Brasil para ajudar a tornar a alimentação mais sustentável.

12. Ricardo Voltolini 

 Essas 12 pessoas citadas no livro não são os únicos buscando um mundo melhor, unir esses líderes alinhando as forças por um bem comum e influenciando novos jovens para buscar o mesmo caminho é o papel que Ricardo Voltolini vem fazendo no Brasil.

Deixe uma resposta