Web

Prata da casa

Só o metrô salva?

A polêmica despertada pelo churrascão da gente diferenciada, em São Paulo – e sua repercussão na internet –, faz reacender um debate antigo, mas nem por isso superado: é o metrô a única alternativa ao caos do trânsito nas grandes cidades?

Pelo menos na metrópole paulistana, muita gente responderia que sim.  O problema é que esse fetiche pelo transporte subterrâneo pode acabar suplantando outras soluções para a mobilidade urbana.  Por que será que o ônibus não goza do mesmo prestígio?  Página22 investigou e parece que essa trama está mesmo muito mal contada.

No fim das contas (bem altas, por sinal), a viabilidade de tornar a cidade inteiramente permeada por estações de metrô é questionável.  Para se ter uma ideia, só com o valor dos trens, cerca de R$ 30 milhões, podem-se comprar 60 ônibus articulados, fora os outros R$ 100 milhões, em média, gastos na construção de cada quilômetro de malha metroviária.

Isso sem comparar as intervenções que cada um representa ao ocupar o espaço urbano.  Quem nos apresentou esses e outros números foi Adalberto Maluf, diretor da Fundação Clinton em São Paulo e membro do Grupo de Trabalho de Transporte, do Comitê de Mudanças Climáticas da prefeitura paulistana.

O buraco parece ser mais abaixo, bem mais do que qualquer estação de metrô.  Leia o post completo no Blog da Redação.

Mundo Afora

Caminantes de los Andes

É um portal que reúne vasto material sobre as sociedades andinas anteriores ao período das Grandes Navegações.  Quem organiza e gerencia todo o conteúdo é a comunidade Sariri, formada por um grupo de descendentes e não descendentes desses povos, que se reúne para estudar e disseminar sua cultura.  Vale a pena ler as passagens que explicam a visão que eles têm sobre a vida na Terra, ou ainda o que chamam de “cosmovisão andina”.

Os Sariri buscam resgatar a harmonia com a natureza, perdida depois que o homem começou a industrializar o mundo e poluí-lo.  “A cultura dos Andes é uma cultura de respeito, e é nisso que baseou toda a sua história, realizando construções que respeitam o entorno e se adequando à morfologia da Terra.”

Além de artigos sobre variados temas, o portal ainda conta com um arquivo de vídeos – destaque para um sobre o ponto de vista boliviano em relação às mudanças climáticas.  Vale conferir.

Redd amazônico

Está disponível para download gratuito uma das mais completas publicações sobre o mecanismo Redd (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação) no Brasil.  Além de oferecer uma visão geral sobre os marcos regulatórios da questão, o livro, intitulado Redd no Brasil: um enfoque amazônico, apresenta as prováveis implicações de sua adoção na Amazônia, junto com uma estratégia nacional de implementação do mecanismo como oportunidade para uma nova economia florestal.  O livro é o resultado de uma parceria entre o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE/PR) e o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos do Governo (CGEE). Mais aqui.

Vale o click

Noosfero

Trata-se de uma plataforma totalmente livre que congrega uma série de funcionalidades: podem-se construir blogs, conhecer pessoas, reunir grupos temáticos e organizar eventos numa agenda eletrônica, além de armazenar e compartilhar arquivos.  As discussões abordam principalmente temáticas como redes digitais, software livre e mobilizações on-line. Acesse aqui.

Google Art Project

Pode parecer mais real que o real.  O Google acabou de lançar um site a partir do qual o usuário visita virtualmente 17 dos grandes museus do mundo.  Além de ter uma panorâmica das salas e corredores, é possível analisar obras em detalhes.  Cada um desses espaços ainda escolheu especialmente uma obra para oferecer em altíssima resolução (pode-se ver o craquelê de telas a óleo).  Palácio de Versalhes, Galleria degli Uffizi e National Gallery estão entre os museus da lista.

Pnuma

A ONU lançou um site especial, em português, sobre o Dia Mundial do Meio Ambiente.  Tem uma série de artigos, vídeos e fotos sobre a mobilização no Brasil e no mundo, além de papéis de parede e selos do evento para download gratuito.

Deixe uma resposta