Jardins olímpicos de 2012

Foto de Julian Osley via Geograph
Foto de Julian Osley via Geograph

Os jogos olímpicos de Londres estão para começar e os organizadores de um projeto chamado Capital Growth esperam atrair as atenções que se voltam para a capital britânica. O projeto quer criar 2012 espaços para o cultivo de alimentos em Londres até o final de 2012 e enviar ao mundo a mensagem sobre um sistema alimentar mais sustentável. Desde o início em 2009 até agora foram estabelecidos 1777 jardins ao redor da cidade, com o trabalho de mais de 60 mil voluntários.

O Capital Growth não é oficialmente ligado às Olimpíadas, mas nasceu como um desafio aos organizadores dos jogos. Diante do compromisso de Londres de produzir as olimpíadas “mais verdes” da história, um grupo de ONGs publicou em 2007 um relatório detalhando “como e porque a comida para Londres 2012 deve ser local, orgânica e ética”.

“Por causa de sua natureza icônica, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos são uma oportunidade de criar mudanças na cultura e nas políticas – e a proposta de Londres para sediá-los foi bem sucedida justamente porque era visionária e ambiciosa”, diz o relatório. “Agora, estas ambições e promessas precisam ser colocadas em prática”.

A oferta de alimentos é um fator particularmente importante para a sustentabilidade, lembraram as ONGs, destacando os efeitos ambientais e sociais de fornecer 1,3 milhão de refeições para os trabalhadores que prepararam a cidade para receber os jogos e para 14 milhões de visitantes esperados durante as Olimpíadas.

Agências governamentais e o prefeito de Londres, Boris Johnson, toparam o desafio e a aposta é que, passados os jogos, o Capital Growth continuará incentivando os moradores da cidade a produzir sua própria comida. O projeto oferece ajuda prática, financiamento, treinamento e apoio a grupos que queiram estabelecer hortas comunitárias, assim como consultoria a proprietários dispostos a ceder seus terrenos para que a comunidade possa cultivar.

O Capital Growth é apenas um projeto associado ao enorme esforço de fornecer refeições a visitantes e atletas durante as Olimpíadas. Tradicionalmente, os organizadores escolhem um fornecedor principal, mas Londres optou pela diversidade e conta com cerca de 800. Quase todos aderiram aos padrões estabelecidos pelo comitê organizador, que incluem a obrigatoriedade de que os alimentos servidos sejam produzidos no Reino Unido.

Há quem duvide que as Olimpíadas de Londres, patrocinadas pelo McDonald’s e pela Coca-Cola, sejam muito sustentáveis do ponto de vista da alimentação. Mas o prêmio virá se, passados os jogos, Londres e os visitantes que ali estiveram para viver a experiência olímpica continuarem perseguindo o espírito da sustentabilidade na hora de comer. Isso sem falar nas cidades que sediarão Olimpíadas por vir. Que tal 2016 jardins no Rio em 2016?

Deixe uma resposta