Autor: Magali Cabral

Principais candidatos são comedidos na quantidade de postagens e pouco aprofundam o tema, mostra pesquisa da Vert Inteligência Digital, feita a pedido da Página22. Lula é quem mais posta e Bolsonaro adota tom panfletário. Saiba como se posicionam sobre temas ambientais sensíveis e as tragédias cada vez mais frequentes no País Por Magali Cabral [Foto: Marinelson Almeida/Flickr] Se não há muitos motivos para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente em um ano marcado até agora por uma coleção de tragédias e ilegalidades, que a efeméride seja útil para despertar a atenção dos brasileiros para o tema ambiental nas eleições…

Leia Mais

Especialistas e povos indígenas propõem caminhos para vencer os imensos desafios da saúde pública na Amazônia. Isso passa por manter a floresta viva, a partir de uma visão de prosperidade econômica aliada à conservação e ao desenvolvimento técnico e científico Por Magali Cabral _ Arte Rakel Caminha (Obra “Simbiose – Corpo.Território.Sustentabilidade”) Sobrevoar a imensidão verde na Amazônia é uma experiência única e arrebatadora, mas esse sentimento esmorece quando, já no chão, se conhece a dura realidade sanitária de comunidades indígenas e ribeirinhas da maior floresta tropical do mundo. A assistência à saúde é um direito humano básico constitucional, mas as…

Leia Mais

[Foto: Pedro Godoy/ Prefeitura de Itapevi-SP] Pesquisa exclusiva para a Página22, realizada pelo Instituto Market Analysis, mostra o grau de importância das árvores na vida de moradores de áreas urbanas. E o que os leva a plantar mudas por conta própria, quando falta ação do poder público Por Magali Cabral Além de importante para a cidade e provocar uma sensação de bem-estar nas pessoas, o ato de plantar árvores é uma forma simples e econômica de ajudar a diminuir o avanço da mudança climática, que segue provocando eventos meteorológicos extremos em vários cantos do planeta. Os mais perceptíveis são as…

Leia Mais

Após o balanço positivo das iniciativas realizadas em 2021, os grupos de trabalho da Concertação apresentam seus planos para 2022 À primeira vista, 2021 pode parecer um ano perdido para os que torcem pelo desenvolvimento sustentável da região amazônica. Com as taxas de desmatamento nas alturas e o garimpo ilegal devastando rios e Terras Indígenas, o medo de ver o bioma se deteriorar de vez espalhou-se pelo País. Mas quem acompanhou as atividades da rede Uma Concertação pela Amazônia no período percebeu o fortalecimento de uma ampla resistência da sociedade civil e organizações empresariais brasileiras. “São mais de 500 pessoas…

Leia Mais

parafrente 50 paraesquerda 90 paradireita 135 usenada parafrente 20 A memória já me falha, mas lembro que os comandos do LOGO eram algo parecido com isso. Não tinha nem 10 anos de idade, mas ver a tartaruguinha andar pela tela do computador através dos comandos que eu digitava era uma sensação inesquecível. A década, a de 1980. O computador de casa (um CP-400 Color II da Prológica) tinha que ser ligado na televisão, e os programas eram lidos e gravados em fitas cassete, usando um gravador comum, também conectado ao computador. Na 6ª série, lembro de passar regularmente por uma…

Leia Mais

São Paulo tem sede e a região de Juquitiba tem bastante água para fornecer. Mas o volume que a Sabesp diz que pretende captar no reservatório de Cachoeira do França é superior ao registrado na outorga. A pouco mais de 100 km de São Paulo, no Vale do Ribeira, em direção ao Paraná, há uma floresta nativa de Mata Atlântica de 31 mil hectares – área dez vezes maior que a da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro, e cinco vezes o tamanho do Parque Estadual da Cantareira, em São Paulo. O grupo empresarial Votorantim, proprietário dessa reserva, chamada…

Leia Mais

Olha isso! POR FABIO F. STORINO* Em um sábado à noite, há pouco mais de dois séculos, trabalhadores do setor têxtil reuniam-se num pub na cidade inglesa de Hightown. Não estavam celebrando: o clima econômico era sombrio, e as condições naquela indústria, muito duras. Quando chegou a hora, largaram seus copos de cerveja e pegaram nas armas — picaretas, marretas, rifles — e rumaram até a planta de uma fábrica. O alvo? As máquinas introduzidas pela Revolução Industrial, que ameaçavam seus empregos. Por dois anos, os ludditas repetiriam os ataques em várias outras cidades, até serem contidos pelo Exército Britânico…

Leia Mais